︎BROADCASTING & PRODUCTION COMPANY

LISBOA / PT



A PRODUTORA AUDIOVISUAL JÁ TEM QUASE VINTE ANOS DE EXISTÊNCIA, SOMANDO UMA SÉRIE DE PROJETOS INOVADORES QUE A COLOCARAM ENTRE AS GRANDES MARCAS DO CINEMA PORTUGUÊS.




JUMPCUT


Fundada em 2002 pelo produtor e realizador Miguel Gonçalves Mendes, a JumpCut é uma produtora independente portuguesa sediada em Lisboa que se dedica à concretização de projetos nas áreas do teatro e do cinema. Os seus projetos caracterizam-se pela sua originalidade e versatilidade marcando uma presença forte no cinema, na televisão e na internet, e estabelecendo parcerias de coprodução com produtoras de outros países, como a O2 (que coproduziu “José e Pilar” e “O Sentido da Vida, que será lançado em 2020).

Os filmes com o selo da JumpCut receberam prémios em festivais internacionais e foram aclamados pelo público e pela crítica, ajudando também a divulgar a cultura portuguesa a um nível internacional.

Com a JumpCut, o realizador Miguel Gonçalves Mendes tem realizado a maioria dos seus projetos cinematográficos, ao mesmo tempo que participa na produção de filmes de outros realizadores.

A JumpCut foi assim responsável por filmes aclamados a nível internacional, como os documentários “Autografia”, um olhar inovador à vida e obra do pintor e poeta surrealista Mário Cesariny, e “José e Pilar”, que retrata, de uma forma íntima e emocionante, a relação do escritor e Prémio Nobe da Literatura José Saramago com a sua mulher, a tradutora e jornalista Pílar del Rio. Ambos foram realizados por Miguel Gonçalves Mendes, que recebeu vários prémios e distinções em festivais internacionais, e que com eles obteve os seus maiores sucessos de público e crítica.

Entre as longas metragens que Miguel Gonçalves Mendes concretizou na JumpCut também se destacam o híbrido entre documentário e ficção “Floripes”, que parte de uma lenda algarvia para falar dos medos de um povo, e a série/filme “Nada Tenho de Meu”, uma viagem ao Extremo Oriente qu o realizador empreendeu com os escritores Tatiana Salem Levy e João Paulo Cuenca, com o objetivo de trocar experiências com artistas e pensadores da região.
A JumpCut, enquanto produtora para outros cineastas, tem também sabido inovar e diferenciar-se no cinema documental, como demonstra  “As Cartas do Rei Artur”, sobre o poeta surrealista Cruzeiro Seixas e realizado por Cláudia Rita Oliveira, e “Retratação”, de Victor Rocha, sobre o artista Fernando Lemos (e que se encontra em preparação).

A JumpCut foi responsável por videoclips de artistas portugueses conceituados, como Márcia, Camané, Dead Combo, Noiserv e Pedro Granato. Entre as instituições nacionais e internacionais que encomendaram curtas metragens e vídeos à produtora, encontram-se a Fundação José Saramago a Porto Editora, a empresa de cruzeiros Holland America Line, a The One Minute Foundation e a Fundação César Manrique.

Considerada uma das produtoras mais importantes do cinema português contemporâneo, a JumpCut tem revelado, ao longo de quase vinte anos de atividade, um percurso repleto de projetos versáteis, que se desdobram entre várias curtas metragens, longas metragens, videoclips, campanha publicitárias, vídeos institucionais e séries televisivas.

O Sentido da Vida” será o próximo projeto da produtora, uma jornada monumental à volta do mundo para traçar a rota de uma doença incurável trazida pelos portugueses durante as navegações. O filme, que também terá uma versão televisiva de oito episódios, conta com personalidade conceituadas de vários cantos do mundo, como o escritor português Valter Hugo Mãe, a artista japonesa Mariko Mori, a política Marina Silva, o juiz espanhol Baltasar Garzón, o astronauta dinamarquês Andreas Mogensen, o músico islandês Hilmar Örn Hilmarsson e o ator porno estadunidense Colby Keller.